As cortinas do tabernáculo de Moisés: Seu valor espiritual e tipológico para vida cristã contemporânea
4 de agosto de 2020
O espírito da falsa profecia nos púlpitos das igrejas
5 de agosto de 2020
Exibir tudo

Possessão virtual: realidade destrutiva

Atualmente, vivemos em uma nova sociedade – estamos na presença de uma nova noção de espaço social – o virtual. Mas, o que é o virtual? A palavra virtual vem do latim Virtualis, termo proveniente de virtus e significa força, potência. A virtualização está presente nas tecnologias da comunicação, no transporte, na medicina, na economia, na política e na igreja. Ela não está limitada apenas ao espaço informático; está na sociedade como um todo. É o que se chama hoje de cibercultura, ciberespaço ou cultural digital, que é um espaço de comunicação aberto pela interconexão mundial dos computadores e das memórias dos computadores, um conjunto de técnicas, práticas, atitudes e valores que se desenvolvem com o crescimento do ciberespaço, o qual compreende o universo das redes digitais.

Porque, disse tudo isto até aqui? Para mostrar-te que o virtual é real e influencia o comportamento social de forma desterritorializada, ou seja, não há fronteiras o mundo está conectado e controlado pela cibercultura.

A palavra de Deus vai nos dizer no Evangelho de Lucas 8.27 “E, quando desceu para terra, saiu-lhe ao encontro, vindo da cidade, um homem que desde muito tempo estava possesso de demônios, e não andava vestido, nem habitava em qualquer casa, mas nos sepulcros.” Esta passagem se encontra também, nos evangelhos sinóticos, e trata de um homem possesso por demônios que habitava na cidade de Gadara, localizada na Galiléia, não muito longe do lago da Galiléia já em território da Jordânia e fazia parte das 10 cidades livres da decápode. 

No versículo podemos notar algumas características que marcam uma vida dominada por espíritos malignos: “…não andava vestido”, “não habitava em casa”, “mas em sepulcros”; a conjunção adversativa “mas” denota a contraposição de uma vida em sua normalidade de uma possuída por espíritos maus. Fica evidente, que a possessão interfere no modo de vida da pessoa, porquanto suas ações serem dominadas, controladas e escravizadas pela entidade.

Este homem estava a muito tempo assim, dominado pelos demônios e eram uma legião (este termo era a designação da maior divisão do exército romano, com aproximadamente 6.000 soldados de infantaria e 120 soldados de cavalaria e ainda de tropas auxiliares para serviços especiais), a bíblia vai nos dizer que “E guardavam-no preso com grilhões e cadeias; mas quebrando as prisões era impelido pelo demônio para os desertos.” Uma pessoa possessa não tem domínio próprio, não conduz é conduzida e manipulada.

A narrativa bíblica continua e os demônios solicitam a Cristo para entrarem numa vara de porcos que passava ali, pois Cristo os expulsava. E o texto diz: “E, tendo saído os demônios do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se de um despenhadeiro no lago, e afogou-se.” Aqui temos uma possessão por transferência, os demônios saem do homem e entram nos porcos. E em seguida todos morrem por se afogarem. A palavra grega usada para “Afogou-se” no grego é apepnigh e significa também, sufocar, (verbo indicativo aoristo passiva terceira pessoa do singular), muito relevante, pois o sujeito sofre a ação de ser sufocado, e portanto o seu fim é a de ser ceifado, este seria o futuro do homem de Gadara, mas, Jesus o libertou.

Novamente, lhe pergunto o que quero lhe alertar? Recentemente, tive um sonho em que expulsara um demônio de uma mulher, porém, os espíritos malignos ao saírem dela, entraram diretamente no seu aparelho celular. Ele passou a controla-la, de dentro do celular. Tudo o que ela fazia, era controlado por eles, do celular. Veja, embora fosse um sonho, é uma realidade materializada no virtual. Nos últimos dias, no Brasil e no mundo ocorreram fatos que chocaram a todos. Mas, que tiveram início na internet. Satanás tem utilizado da rede para possuir, controlar, manipular e escravizar as pessoas assim como ele fez com o endemoninhado gadareno.

Ele tem ceifado vidas e mais vidas, que são possuídas virtualmente. Sem falar, da prostituição virtual, que tem dominado e escravizado muito casais que servem a Cristo parcialmente, tendo apenas o nome de que vivem, mas estão mortos. Jovens, adolescentes e crianças que vivem diariamente sob a égide de celulares, tablets e notbooks controlados por jogos, Netflix, Youtuber e todo tipo de influência que sufocam e os têm sepultado.

 A mensagem que lhe trago, neste texto é que a Cristo enfatizou no sermão profético do Monte das Oliveira– que diz: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” Esta mensagem é clara: precisamos ser vigilantes, precisamos estar sob oração. Cristo venceu o endemoninhado gadareno e nos deu o exemplo de vencer a possessão virtual, “Pois Jesus havia ordenado que o espírito imundo saísse daquele homem”; Somos livres em Cristo, pelo poder de sua palavra.  Temos do SENHOR a sua palavra, poder Deus para todo aquele Crer. Ela nos outorgou autoridade para reprendermos todo poder das trevas. Seja vigilante, tome cuidado por onde seus olhos têm andado pela internet, para que não seja controlado e sujeitos a satanás. Maranata Jesus!

Prof. Me Uilson Nunes
Prof. Me Uilson Nunes
Mestre em Letras pela Universidade Federal de São Paulo (2019), Pós-Graduado em Docência no Ensino Superior pela Universidade nove de Julho e Pós- Graduado no ensino de jovens e adultos pelo Centro Paula Souza e Ministério da Educação (MEC) por meio do programa Brasil profissionalizado, Graduado em Pedagogia (Uninove), Graduado em Letras - Licenciatura Plena Português e Inglês pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Tibiriçá e Graduado em Teologia - Ciência da religião pelo Seminário Teológico Betel Brasileiro. Atualmente é professor titular de língua portuguesa e inglesa na Etec Bartolomeu Bueno da Silva - Anhanguera, coordenador de aplicação do vestibular Fatec Santana de Parnaíba e professor de teologia na FAESP e ETADEMP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *